• Guerra às beatas
    Guerra às beatas

    TVI | É uma história que está a dar que falar. Há um padre que está a fazer uma autêntica guerra às beatas. Declarações de Albino Reis, Pároco.

    Read 3 times
  • Medicina Interna de Gaia e Espinho: agilizar processos para «ir ao encontro do doente»
    Medicina Interna de Gaia e Espinho: agilizar processos para «ir ao encontro do doente»

    Just News | A Associação dos Médicos Internistas de Gaia (AMEDINTER) organiza, nos dias 5 e 6 de dezembro de 2019, o VI Encontro de Medicina Interna de Gaia e Espinho, presidido por 
    Vítor Paixão Dias.

    O diretor do Serviço de Medicina Interna do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho intervém, desde logo, na Conferência Inaugural. "Ao encontro do doente: Importância da relação médico-doente sem barreiras informáticas – Novas tecnologias" é o tema da palestra que será proferida por Miguel Castelo-Branco.

     

    Outra das intervenções de Vítor Paixão Dias na reunião decorrerá na sessão "Consulta fora de portas – Risco vascular e metabólico". O médico e presidente da Sociedade Portuguesa de Hipertensão desenvolverá precisamente o tema: "Ao encontro do doente com HTA: AMPA – Fazer muito com pouco".

    "Ir ao encontro do doente"

    O evento, que terá lugar no Hotel Solverde, em Espinho, tem como lema "Medicina Interna fora de portas: Ao encontro do doente". E, de facto, o programa reflete bem essa vontade de discutir e partilhar experiências neste campo, com a abordagem à hospitalização domiciliária e às consultas "fora de portas" no âmbito do doente com alterações cutâneas e na área do risco vascular e metabólico.

    Também a conferência "Clínica do antibiótico: Rotas alternativas ao internamento" aborda um projeto desenvolvido no CHVNG/E, implementado desde 2016. Numa reportagem publicada no jornal Hospital Público, Margarida Mota, coordenadora da equipa, explica que a Clínica do Antibiótico foi criada após ter sido detetado que havia muitos utentes internados apenas por precisarem de fazer antibioterapia via endovenosa, o que inclusive "aumentava o risco de infeção hospitalar".

    Já a sessão de encerramento do Encontro evidencia o empenho da Medicina Interna em abrir "portas" e investir nas "novas vias de comunicação" entre Medicina Interna e Medicina Geral e Familiar.

     

    Noticia completa:

    https://justnews.pt/noticias/medicina-interna-de-gaia-e-espinho-hospitalizacao-domiciliaria-e-consultas-fora-de-portas#.XZyZWUZKiUm

    Read 3 times
  • "O cigarro eletrónico é uma ilusão" e não entra na consulta de cessação tabágica
    "O cigarro eletrónico é uma ilusão" e não entra na consulta de cessação tabágica

    TSF | O tabagismo continua a ser uma das principais causas evitáveis de doença e morte a nível mundial. No Dia Europeu do ex-Fumador acompanhamos a consulta de cessação tabágica do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia.

    Aqui, o cigarro eletrónico não é uma alternativa, e o elevado preço dos tratamentos é um obstáculo para quem quer cessar o consumo. A ideia de que controlam o vício e de que é só um cigarro são os erros mais comuns. As consultas de cessação tabágica duram em média um ano, mas o plano é adequado ao perfil de quem procura ajuda. Ivone Pascoal, coordenadora da consulta de cessação tabágica no centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia, explica que o primeiro passo é conhecer o fumador.

     

    Link para o artigo completo:

    https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/o-cigarro-eletronico-e-uma-ilusao-e-nao-entra-na-consulta-de-cessacao-tabagica-11340484.html?fbclid=IwAR3KjOp8ZZ9C7NchgYtLdR1f_9HdVp7a0j2KcQovzJxLkAqQN9a2ZAgiI-A

    Read 0 times
  • Compromisso para a Humanização Hospitalar
    Read 6 times
  • Otorrinolaringologia Geriátrica: Jornadas abordam «problemas específicos»
    Otorrinolaringologia Geriátrica: Jornadas abordam «problemas específicos»

    JustNews | Três anos após a sua primeira edição, as 2.as Jornadas de ORL Geriátrica vão decorrer nos dias 15 e 16 de novembro de 2019.

    A decisão de se realizar esta iniciativa tão específica é explicada pelo seu principal impulsionador, Artur Condé, diretor do Serviço de ORL do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho:

    “Temos cada vez mais doentes idosos nas nossas consultas, sendo os problemas que apresentam distintos daqueles que poderão surgir noutras faixas etárias."

    Segundo o médico, a frequência da consulta otorrinolaringológica "é, cada vez mais, de uma população envelhecida, com problemas específicos que desafiam diariamente os especialistas a encontrar soluções terapêuticas".

    Nesse sentido, a realização desta reunião pretende contribuir para uma maior partilha de conhecimentos e experiências, sendo dirigida a otorrinos, "bem como a médicos de família e outros profissionais ligados à área da Geriatria e Gerontologia".

    Read 5 times
  • Cancro da cabeça e pescoço: “Imunoterapia mudou a vida de muitos doentes”
    Cancro da cabeça e pescoço: “Imunoterapia mudou a vida de muitos doentes”



    Já existe “um volume importante” de doentes tratados em Portugal com imunoterapia, explica a médica oncologia Ana Joaquim, em entrevista ao SaúdeOnline. No entanto, num tipo de cancro em que 60% dos casos são diagnosticados numa fase avançada, a quimioterapia continua a ter uma importância decisiva.

     

    De que formas se pode manifestar o cancro da cabeça e pescoço?

    Pensando nas duas localizações mais comuns do cancro da cabeça e pescoço, que são a cavidade oral e a laringe, as formas de manifestação são muito acessíveis ao doente e aos profissionais de saúde. São alterações nas gengivas, lesões brancas ou vermelhas ou aftas que não curam no período de três semanas; dificuldade em deglutir; massas no pescoço; rouquidão persistente.

    Os nódulos do pescoço são então um sinal de alerta?

    São preocupantes se não passarem ao fim de algum tempo. Os nódulos correspondem, geralmente, aos gânglios. Todos temos gânglios em vários sítios do corpo, que nos alertam para vários tipos de doença, habitualmente do foro inflamatório. Os do pescoço não são exceção. Por exemplo, um abcesso num dente ou uma otite são, geralmente, sinalizados por aumento do tamanho e dor de um ou mais gânglios no pescoço. Quando a causa do aumento dos gânglios é tumoral, habitualmente não cursa com dor e vai agravando ao longo do tempo, mesmo sob tratamentos antibióticos ou anti-inflamatórios.

    Qual é o tipo de cancro da cabeça e pescoço mais comum? 

    É o da cavidade oral, seguido do da laringe e orofaringe.

    Quais são os grupos de risco?

    Temos o grupo de risco clássico em Portugal, que são os doentes fumadores e/ou alcoólicos. A ação do tabaco e do álcool, mais do que cumulativa, é exponencial.

    Um outro grupo de risco que começa a ser cada vez mais frequente nos países desenvolvidos (nomeadamente nos EUA) é o das pessoas que têm infeção por HPV (human papiloma virus), infeção sexualmente transmissível. Este vírus é agente causal do cancro da orofaringe, cuja prevalência está a aumentar. No entanto, em Portugal sabemos que a maioria dos doentes com cancro da orofaringe HPV positivo tem, também, hábitos tabágicos e/ou alcoólicos, à semelhança das outras localizações.

    Um outro fator de risco são as próteses dentárias mal adaptadas, o que acontece com alguma frequência nos idosos que usam próteses durante muito tempo, muitas vezes não adaptadas às alterações das estruturas da cavidade oral que as suportam. Esta utilização pode conduzir a traumatismos na cavidade oral. Qualquer destas lesões, quando progressiva e persistente, deve ser valorizada e estudada.

    Já se veem os resultados do Projeto de Intervenção Precoce do Cancro Oral, que já existe há cinco anos?

    Julgo que sim. A informação libertada é a de que cerca de 8 mil doentes já foram abrangidos, tendo sido realizadas quase 4 mil biópsias pelos médicos dentistas que aderiram ao programa. A taxa de deteção de cancro não é elevada, porque muitas das lesões não são propriamente suspeitas. Neste momento, não lhe consigo dizer quantos casos foram diagnosticados a partir dessas biópsias.

    Agora, é preciso dizer que, em geral, o nível de higiene da cavidade oral é muito mau. As doenças orais são das doenças mais frequentes a nível mundial – a cárie não tratada é a condição mais comum em todo o mundo.

    Muitos doentes com cancro da cabeça e pescoço precisam de reabilitação oral. No entanto, essa reabilitação continua a ter de ser feita no privado. Porquê?

    Saiu um despacho, há já dois anos, que permitia aos hospitais com maior volume de casos de cancro da cabeça e pescoço poderem aceder a uma verba destinada à reabilitação desses doentes. Pelo menos no hospital onde trabalho (Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho) ainda não sabemos como podemos ter acesso a essa verba…

    Nós estamos a falar de doentes em idade adulta, submetidos a tratamentos que consomem muitos recursos, tanto humanos como técnicos, científicos e tempo. Estamos a falar de cirurgias demoradas, em que se removem partes da cavidade oral e em que, muitas vezes, se faz reconstrução indo buscar osso e tecidos moles a outras partes do corpo. São doentes que passam, também, por fases de quimioterapia e/ou radioterapia.

    Depois de passar por estes processos todos, o que acontece com frequência é termos um sobrevivente em recuperação, que está livre de cancro, que passa por um processo demorado de reabilitação da deglutição, com os profissionais da Fisiatria envolvidos nos cuidados desde o início mas, mesmo assim, não consegue ter uma dieta dita normal por não ter uma prótese dentária.

    Ou seja, o doente coloca a prótese no privado mas quem é que suporta o custo?

    Ou é o SNS, através das chamadas ajudas técnicas – e muito poucos doentes tem direito a isso – ou, então, tem de ser o doente a ir a consultas privadas que, se por um lado implicam custos muitas vezes incomportáveis para os doentes, por outro, habitualmente,  estão longe da realidade das equipas multidisciplinares que, no terreno, tratam os casos de cancro da cabeça e pescoço.

    É muito diferente colocar uma prótese dentária num doente que fez radioterapia comparativamente com um utente saudável. Os sobreviventes de cancro de cabeça e pescoço exigem doentes alguns cuidados especiais e tempo.

    Muitos doentes acabam por não ir ao privado?

    Muitos não vão e, para outros, não faz grande sentido. Estamos a falar de uma reabilitação pós-tratamento numa doença em que os doentes estão a ser acompanhados no hospital e têm muitas particularidades motivadas pelos tratamentos. Por isso, a ida a uma consulta privada provavelmente não resolve o problema.

    No plano do tratamento, em que ponto está, em Portugal, a utilização da imunoterapia?

    Neste momento, está indicada para a doente metastizada, avançada e recorrente que não é passível de tratamento com intuito curativo. Está indicada em segunda linha ou posteriores, prevendo-se em breve a aprovação em primeira linha.

    Já temos um volume importante de doentes tratados em Portugal com imunoterapia, sendo que apenas 20% respondem à imunoterapia.

    Neste momento, a imunoterapia em segunda linha está acessível aos hospitais que proponham esse tratamento aos doentes. Até já tem comparticipação. A questão que se coloca é quais são os doentes que vão responder. Os que respondem fazem-no durante muito tempo, o que é muito bom. Os que não respondem acabam por ter de fazer quimioterapia, que é um tratamento que já não dá uma resposta tão prolongada.

    O caminho é ir substituindo a quimio pela imunoterapia?

    Cada tratamento tem o seu papel. Já há estudos que mostram que a quimioterapia associada à imunoterapia funciona nalguns doentes também. A imunoterapia é mais um arma terapêutica. Até há uns anos, o cancro da cabeça e pescoço metastizado matava em seis meses. Com o aparecimento de tratamentos dirigidos à doença, a sobrevivência mediana da primeira linha passou para próximo de 1 ano. Agora, com a inclusão da  imunoterapia na estratégia terapêutica, um em cada 5 destes doentes vive anos com a doença controlada. Para estes doentes, passou a ser uma doença crónica.

    Read 5 times
  • Revista de imprensa com Miguel Guerra, cirurgião do CHVNG/E
    Revista de imprensa com Miguel Guerra, cirurgião do CHVNG/E

    RTP3 | Revista de imprensa com Miguel Guerra, cirurgião cardiotorácica. No Dia Mundial do Cancro do Pulmão vem falar das possibilidades de tratamento de uma doença que mata quase 2 milhões de pessoas por ano.

    Read 1 times
  • Dia Mundial do Cancro do Pulmão
    Dia Mundial do Cancro do Pulmão
    TVI24 | Assinalou-se no passado dia 1 de Agosto, o Dia Mundial do Cancro do Pulmão, que é responsável por milhões de mortes em todo o mundo.No Hospital de Gaia o tratamento faz-se através de uma cirurgia minimamente invasiva.
     
     
    Read 5 times
  • Gaia: Nova técnica em cirurgia cardiotorácica
    Gaia: Nova técnica em cirurgia cardiotorácica

    TVI | Uma nova técnica está a ser utilizada em cirurgias cardiotorácicas no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia. É muito menos invasiva e muito mais benéfica para os doentes que vão mais cedo para casa. Declarações de Ricardo Ferraz, Rodolfo Pereira, cirurgiões; Luís Paiva, diretor do serviço de cirurgia.

    Read 6 times
  • Hospital de Gaia tratou mais de 200 doentes em hospitalização
    Hospital de Gaia tratou mais de 200 doentes em hospitalização

    RTP | O Hospital de Vila Nova de Gaia já tratou, em apenas um ano, mais de 200 doentes em hospitalização domiciliária, o que levou à redução de riscos para os utentes e libertou camas ao hospital.

    Read 5 times
  • Internamento em casa reduz riscos e traz poupança de milhões para o SNS
    Internamento em casa reduz riscos e traz poupança de milhões para o SNS

    JN | O projeto da Hospitalização Domiciliária estava previsto ser implementado em 25 hospitais de todo o país até ao final do mês Março mas, apenas cinco implementaram o novo modelo de cuidados.

    Read 3 times
  • Unidade de Hospitalização Domiciliária de Gaia faz 1 ano de atividade

    noticiauhd.jpg

    Read 3 times
  • Atendimento Permanente
    Atendimento Permanente

    Saude + | Um dia de trabalho na vida de um cirurgião do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica.

    https://www.saudemais.tv/video/76667-atendimento-permanente-t03-e004

    Read 6 times
  • Serviço de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Microcirurgia (CHVNGE) e iBiMED (Universidade de Aveiro) realizam primeiro curso de microcirurgia
    Serviço de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Microcirurgia (CHVNGE) e iBiMED (Universidade de Aveiro) realizam primeiro curso de microcirurgia

    Serviço de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Microcirurgia (CHVNGE) e iBiMED (Universidade de Aveiro) realizam primeiro curso de microcirurgia

    Uma parceria entre o CHVNGE e a Universidade de Aveiro, nomeadamente entre o Serviço de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva, Craniomaxilofacial, Mão e Unidade de Microcirugia e o iBiMED (Instituto de Biomedicina) permitiu a realização, no passado dia 1 e 2 de março, de um curso de microcirurgia, dirigido a cirurgiões plásticos reconstrutivos e estéticos, assim como de outras especialidades cirúrgicas, tendo como objetivo o treino prático e aperfeiçoamento de técnicas de microcirurgia.

    A componente prática do curso utilizou ratos vivos, sob anestesia geral, como modelo, para treino de práticas de microcirugia reconstrutiva, como

    por exemplo as anastomoses (sutura de vasos com calibres entre 1 a 2 mm) sob ampliação de microscópio operatório. Este procedimento é aplicado em veias, artérias e nervos. Esta prática adquirida no Curso é essencial para a garantia de conhecimento e execução das técnicas de microcirurgia, permitindo a sua aplicação e translação em pacientes com doenças do foro traumático, oncológico e congénito.

    Esta parceria, que envolve também a UNAVE e o Biotério do iBiMED é mais passo na aproximação entre as duas entidades, que têm vindo a desenvolver um trabalho conjunto no âmbito do Centro Académico Clínico.

    Os formadores do Curso de Microcirurgia foram cirurgiões especialistas do SCPRCM-UM, tendo contado com participação de investigadores do i3S e de especialistas de Medicina Veterinária do ICBAS (de forma a elucidar acerca da anatomia do modelo animal utilizado, garantindo sempre o bem estar dos animais testados, em cooperação com técnicos do Biotérios do iBiMED).

    O Microsurgery Course foi realizado mediante a acreditação europeia do ESPRAS (European Society of Plastic Reconstructive & Aesthetic Surgery.

     

     

    MicroSurgery_Course_1.jpg

    Download:

    Programa do curso

    Read 7 times
  • Hospital de Gaia realiza primeira reconstrução total da língua em doente com cancro oral
    Hospital de Gaia realiza primeira reconstrução total da língua em doente com cancro oral

    Porto Canal | Um doente de 58 anos com cancro oral foi alvo de uma cirurgia plástica no Hospital Santos Silva, em Vila Nova de Gaia, o primeiro caso de reconstrução total da língua. Os médicos usaram um músculo da zona dorsal para substituir a língua removida devido ao tumor e o caso está a ser um sucesso.

    Read 3 times
  • Centro de reabilitação do Norte vai passar para a alçada do Centro Hospitalar de Gaia/ Espinho
    Centro de reabilitação do Norte vai passar para a alçada do Centro Hospitalar de Gaia/ Espinho

    RTP1 | O Centro de reabilitação do Norte vai passar para a alçada do Centro Hospitalar de Gaia/ Espinho. Nos próximos 5 anos, irá receber 100 milhões de euros de forma faseada. Esta manhã, a ministra da Saúde visitou a unidade de cuidados especializados em Vila Nova de Gaia.

    Read 3 times
  • Hospital de Gaia/Espinho premiado na área cardíaca
    Hospital de Gaia/Espinho premiado na área cardíaca

    Expresso | O Hospital de Cascais, o Centro Hospitalar de Coimbra, o Hospital de Braga e o de Vila Nova de Gaia e Espinho venceram cinco prémios de excelência na área clínica respiratória e na área cardíaca.

    A cerimónia de atribuição dos prémios da consultora IASIST aos hospitais decorreu nesta terça-feira em Lisboa, estando na sua quinta edição, e este ano foram criados cinco prémios para áreas clínicas específicas, a acrescentar a cinco prémios de excelência geral.

    Na área clínica respiratória, os vencedores foram o Hospital de Cascais e o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Na área clínica do coração, o Hospital de Cascais voltou a ser premiado, a par do Hospital de Braga e do Hospital Vila Nova de Gaia e Espinho. Estes cinco prémios específicos para duas áreas clínicas foram este ano atribuídos pela primeira vez, juntando-se assim aos cinco prémios de hospitais com melhor desempenho, que foram atribuídos a cinco instituições do Serviço Nacional de Saúde, num total de dez prémios.

    O Centro Hospitalar Universitário do Porto, o Hospital de Braga, o de Cascais, o da Figueira da Foz e a Unidade Local de Saúde de Alto Minho receberam os prémios de hospitais com melhor desempenho em 2017. O Hospital de Cascais, gerido em parceria público-privada, recebeu assim três dos cinco prémios atribuídos este ano pela consultora multinacional IASIST.

    Segundo Manuel Delgado, responsável da IASIST em Portugal, nos prémios específicos para a área respiratória e cardíaca a avaliação incidiu em todos os hospitais, tendo sido atribuídos dois prémios na área respiratória e três na área do coração devido aos diferentes tipos de patologia tratadas nas unidades de saúde. "Há unidades que tratam algumas patologias específicas, mas não todas. Comparámos hospitais que tratam patologias similares", explicou Manuel Delgado à agência Lusa. Assim, os prémios para as duas áreas clínicas foram atribuídos de acordo com o tipo de doenças que são tratadas.

    Na área respiratória, o primeiro grupo inclui os hospitais com um volume mínimo de doentes com pneumonia ou doença pulmonar obstrutiva crónica e no segundo grupo os hospitais terão de ter também incluídas as neoplasias da traqueia, brônquios e pulmão.
    Na área cardíaca, os hospitais foram divididos em três grupos: o primeiro contempla o tratamento de insuficiência cardíaca, enfarte agudo do miocárdio e arritmia; no segundo grupo estão aquelas patologias e ainda angioplastias e no terceiro grupo terão também de tratar doença valvular cardíaca e fazerem bypass.

    Read 3 times
  • Zumbaween
    Zumbaween

    RTV | Mama Move Gaia promoveu aula de zumba alusiva ao cancro da mama

    Read 1 times
  • Unidade de Hospitalização Domiciliária CHVNGE
    Read 4 times
  • Campanha de Vacinação contra a gripe 2018/2019
    Campanha de Vacinação contra a gripe 2018/2019

    Neste inverno não se deixe apanhar pela gripe

    Read 1 times
  • Batismo de Surf na Saúde Mental
    Batismo de Surf na Saúde Mental

    Escola de Surf Greencoast | No âmbito do Dia Mundial da Saúde Mental realizou-se, no dia 12 de outubro, pelas 10:30 na baía de Espinho, uma iniciativa conjunta entre a Escola de Surf Green Coast e o CHVNGE, intitulada “Batismo de surf na Saúde Mental”.

    Read 3 times
  • CHVNGE triplamente distinguido nos Prémios de Saúde Sustentável
    CHVNGE triplamente distinguido nos Prémios de Saúde Sustentável

    CHVNGE triplamente distinguido nos Prémios de Saúde Sustentável

     

    No final de uma tarde memorável no Museu do Oriente, na cerimónia de entrega de prémios Saúde
    Sustentável, iniciativa conjunta do Jornal de Negócios e da Sanofi, o Centro Hospitalar de Vila Nova de
    Gaia/Espinho foi distinguido com dois prémios e uma menção honrosa, um "verdadeiro oligopólio" do
    CHVNGE, nas palavras de Adalberto Campos Fernandes.
    A Unidade de Neurorradiologia de Intervenção/Unidade de AVC conquistou o prémio na categoria
    Cuidados Hospitalares, com o projeto do Stroke Center, onde a inovação é reflectida numa organização
    multidisciplinar e em rede, conseguindo uma melhoria substancial de resultados em doentes com AVC,
    devido a uma resposta mais rápida e mais eficaz.
    Já o prémio Promoção e Prevenção na Saúde foi atribuído ao projeto Consulta de Enfermagem ao
    Cuidador, direcionada aos cuidadores de pessoas com demência. O projeto distingue-se por ser direcionado
    quer ao doente, quer ao cuidador, centrado no devido acompanhamento necessário a cada
    doente e apostando na integração de cuidados.
    Finalmente, o Centro de Cirurgia Fetal Intra-uterina e Fetoscopia, integrado no Centro de Diagnóstico
    Pré-Natal, recebeu uma Menção Honrosa, na categoria Sustentabilidade Económica, pelo desenvolvimento
    da cirurgia fetofetal a laser, única no país, e que aguarda atualmente reconhecimento como
    Centro de Referência.
    Estas distinções deixaram o Presidente do Conselho de Administração do CHVNGE, António Dias Alves,
    "naturalmente orgulhoso", sendo estes prémios o reconhecimento público da "elevada competência
    de todos os profissionais do CHVNGE, que se empenham de forma extraordinária na garantia de prestar
    os melhores serviços de saúde à população de Gaia", referindo que a inovação e o aperfeiçoamento
    de processos neste tipo de projetos "asseguram uma melhor resposta aos nossos utentes, contribuíndo
    positivamente para a melhoria do Serviço Nacional de Saúde".

    Read 3 times
  • Unidade de Hospitalização Domiciliária de Gaia/Espinho: seis meses de vitórias e muitos quilómetros
    Unidade de Hospitalização Domiciliária de Gaia/Espinho: seis meses de vitórias e muitos quilómetros

    Porto Canal | No Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho há meio ano que existe Unidade de Hospitalização Domiciliária. É a única a Norte do país, por onde já passaram 114 doentes e foram percorridos mais de 17 mil quilómetros.

    Read 11 times
  • Inês perdeu a mão em alcobaça e recuperou-a em Vila Nova de Gaia
    Read 2 times
  • Cirurgia inovadora em Gaia
    Cirurgia inovadora em Gaia

    Porto Canal | O Centro Hospitalar Gaia - Espinho fez pela 1.ª vez, uma cirurgia inovadora a tumores nos brônquios.

    Read 3 times
  • "As pessoas estão cansadas de sucessivas promessas"
    Read 7 times
  • Requalificação do Hospital de Gaia
    Requalificação do Hospital de Gaia

    SIC Notícias | As obras para o alargamento do Serviço de Urgência do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia começaram este mês e prevê-se que terminem no verão do próximo ano. À agência Lusa, fonte do hospital disse que o novo espaço de urgências vai permitir um aumento da capacidade de 50 por cento em relação ao que acontece atualmente. Além das novas instalações da urgência, também haverá um novo internamento de cirurgia com 25 camas.

    Read 3 times
  • Campo Educativo Adolescentes com Diabetes/2018
    Campo Educativo Adolescentes com Diabetes/2018

    Decorreu a 4 e 5 julho o 6º Campo Educativo dirigido a jovens com Diabetes Mellitus tipo 1, organizado pela equipa da Unidade de Endocrinologia e Diabetologia Pediátrica do CHVNGE. 

    Este campo educativo realizou-se no Parque Pena Aventura em Ribeira de Pena, tendo como finalidade a realização de um programa organizado de caracter educativo, desportivo e recreativo, e que potencia a autonomia e a responsabilidade dos nossos jovens na gestão diária da sua Diabetes.

    Fizeram parte da equipa de apoio:

    Enfermeira Conceição Lima, Enfermeira Cátia Oliveira, Dr.ª Ana Luísa Leite, Dr.ª Rosa Arménia Campos e Dr.ª Joana Tenente, Nutricionista Ana Vieira que desenvolveram atividades de formação educativa, sob os temas “Como tratar hipoglicemias”, “A importância dos registos glicémicos diários e “Contagem de Hidratos de Carbono”.

    Durante estes dois dias a interação de todos os jovens participantes com a equipa foi altamente positiva, havendo um envolvimento de todos os participantes com a organização,  resultando assim numa mais-valia na qualidade de vida dos doentes.

    foto2.jpgfoto3.png

    foto4.jpg

    Read 2 times
  • Nova urgência do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho
    Nova urgência do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho

    Renovação das Urgências de Gaia já em curso 

    Com um aumento de capacidade de 50% relativamente ao atual serviço de urgência, as obras do novo serviço de urgência do CHVNGE já se iniciaram. 

    Assinada a consignação da obra no passado dia 3 de julho, teve inicío a renovação do Serviço de Urgência, que irá permitir ao CHVNGE melhorar e aumentar a capacidade de resposta, mantendo os maiores níveis de qualidade assistencial. A obra, associada ao programa de reorganização em curso - liderado pelo Diretor Clínico, José Pedro Moreira da Silva - é essencial para a modernização do SNS, assim como uma necessidade que a população dos concelhos de Gaia e Espinho verá colmatada. 

    O aumento da área existente irá melhorar significativamente o espaço disponível para OBS assim como irá permitir um escoamento mais fluído para os internamentos - este desde já melhorado com a recém criada Equipa de Gestão de Camas, cuja resposta rápida possibilita a minimização do período de internamento em SU.

    Read 11 times
  • Dia Mundial do Dador de Sangue
    Dia Mundial do Dador de Sangue

    RTP 1 | E o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia a esta hora há dadores. Reportagem em direto, declarações do Dr. Manuel Figueiredo, diretor do serviço.

    Read 4 times
  • Via verde de reimplante de membros
    Via verde de reimplante de membros

    No Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia funciona o único serviço de via verde de reimplante de membros. Os doentes são encaminhados de todo o país e a resposta tem de ser imediata.

    Fonte: SIC

     

    Read 2 times
  • Gémeas salvas na barriga da mãe
    Gémeas salvas na barriga da mãe

    Gaia trata a síndrome de transfusão feto-fetal há um ano, mas ainda há grávidas enviadas no SNS para estrangeiro.

    JN | Gabriela, ainda estremunhada do sono da viagem entre Braga e Gaia, fita o homem de bata branca que a segura no colo. A estranheza desembaraça-se num arrepio e a menina, olhos azuis risonhos, aninha-se na barba do obstetra, que a conheceu antes do nascimento. A ela e à irmã gémea de dez meses. "Ela é muito mimalha", testemunha a mãe, Raquel Fernandes. "É como eu", compara o obstetra Francisco Valente, um dos quatro médicos da equipa de cirurgia fetal intrauterina do Centro Hospitalar de Gaia e Espinho que cumprem, há mais de um ano, a missão de salvar a vida de gémeos dentro do útero.

    75187068_Page_3.jpg

    75187068_Page_1.jpg75187068_Page_2.jpg

    Read 1 times
  • Açúcar Escondido
    Read 2 times
  • Acidente Vascular Cerebral
    Acidente Vascular Cerebral

    TVI 24 | Os acidentes vasculares cerebrais continuam a ser a principal causa de morte e de incapacidade física em Portugal. Os sinais de alerta podem surgir em qualquer idade. Comentários de Frederico Augusto, doente em recuperação, Miguel Veloso, Neurologista Hospital

    Read 6 times
  • CHVNG/E tem em curso «programa ambicioso» de investimento
    CHVNG/E tem em curso «programa ambicioso» de investimento

    Faz parte da estratégia do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) “investir na diferenciação e no desenvolvimento dos serviços para melhorar o acesso aos cuidados de saúde”, afirmou o seu presidente do Conselho de Administração. António Dias Alves avançou a medida, ao intervir na última sessão do “Caminho dos Hospitais”, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH).



    Foi precisamente naquele centro hospitalar que se realizou o evento, dedicado ao tema “Inovação e sustentabilidade clínica e económica”, no qual se destacaram as alternativas para lidar com a questão do subfinanciamento.

    “Tencionamos investir num sistema de qualidade que nos dê a certeza de que teremos recursos mais qualificados, processos de qualidade simples, desburocratizados e que produzam melhores resultados na saúde e qualidade de vida dos doentes”, mencionou António Dias Alves, que assumiu o cargo em abril de 2017.


    António Dias Alves, Pimenta Marinho e Alexandre Lourenço

    Autonomia para desempenhar funções

    Durante a sessão, o presidente da APAH, Alexandre Lourenço, lembrou que o SNS atravessa uma fase difícil: “Temos um orçamento muito abaixo do que seria desejável e uma estratégia atualmente liderada pelo Ministério das Finanças de restrição financeira nos hospitais que, de uma forma burocrática, tenta atrasar a despesa pela contratação de pessoal". E acrescentou: "Como se isso pudesse, de alguma forma, causar alguma restrição na despesa e não gerasse mais desperdício”.

    “Todos nós temos de defender um SNS com hospitais com mais autonomia, para que tenham a possibilidade de contratação dos recursos necessários, e que, naturalmente, sejam responsabilizados por um orçamento real”, sublinhou o responsável.

    O administrador hospitalar insistiu na necessidade de todos trabalharem em conjunto para os hospitais terem autonomia e para que seja possível responsabilizar os gestores e avaliá-los pelo desempenho que têm: “Todos nós, enquanto contribuintes e trabalhadores do SNS, devemos avaliar o que é feito pelos conselhos de administração e isso tem de ser feito de uma forma transparente, mas, para que possamos realmente avaliar o que foi feito, aqueles precisam de ter autonomia para desempenhar as suas funções.”



    Ao usar da palavra, Pimenta Marinho, presidente da ARS Norte, salientou a importância da questão do subfinanciamento, tal como a das Urgências: “Continuamos a ter problemas nas Urgências que não são comuns nem exclusivos de Portugal, como se viu este inverno, embora na região norte penso que tenha funcionado com menos problemas do que noutros locais do país.”

    Referindo que “o discurso sobre as urgências é o mesmo de há muitos anos”, esclareceu: “Na região norte não temos praticamente utentes sem médico de família. A evolução demográfica é a que nós conhecemos, mas continuamos a dizer que a existência dos verdes e azuis se deve ao facto de os CSP não verem os doentes. Continuamos a apontar as mesmas causas hoje e há 10-15 anos, quando nessa época tínhamos 100 ou 200 mil utentes sem médico de família”, afirmou.

    Por isso mesmo, a ARS Norte, integrada no Projeto SNS + Proximidade, vai realizar um estudo em colaboração com o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto para entender quais as causas que levam as pessoas às Urgências, os locais onde vão e que medidas se podem tomar para melhorar essa situação.

    Pimenta Marinho salientou duas das experiências inovadores que o CHVNG/E irá implementar brevemente -- a hospitalização domiciliária e a criação de uma Unidade de Convalescença.  

    "Programa ambicioso” de investimento 

    Durante a iniciativa, António Dias Alves sublinhou a intenção de ter no centro hospitalar que dirige “um ambiente e uma cultura de responsabilidade que propicie uma boa resposta não apenas aos doentes, mas também à população”. 



    Segundo o responsável, o atual Conselho de Administração delineou um "programa ambicioso” de investimento não só em instalações, mas também em equipamentos.

    No que respeita às instalações, pretende-se concluir a construção de um novo edifício na Unidade I, onde se concentre o ambulatório. A outra ambição é “remodelar os três pavilhões do CHVNG/E”.

    É igualmente intenção investir em equipamentos para que, conforme referiu, “tenhamos um parque minimamente atualizado, que agora não possuímos e que causa muitos problemas”. A área dos sistemas de informação não ficará de fora do programa, pretendendo-se conseguir uma maior “adequação e integração”.

    Foram vários os profissionais do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho que quiseram participar nesta iniciativa, onde todos os elementos do Conselho de Administração intervieram como oradores e se dispuseram a esclarecer dúvidas, trocar impressões e a ouvir as diferentes perspetivas sobre os temas em debate.

    O diretor clínico, José Pedro Moreira da Silva, apresentou um projeto renovador do Serviço de Urgência Polivalente/Centro de Trauma. Por sua vez, Alberta Pacheco, enfermeira diretora, centrou a sua comunicação no projeto de hospitalização domiciliária, que arrancará em breve. Inês Castro, vogal executiva, falou sobre quantificação e alternativas ao subfinanciamento. Também a vogal executiva Margarida França abordou a questão da gestão de recursos humanos.

    https://www.justnews.pt/noticias/chvnge-tem-em-curso-programa-ambicioso-de-investimento/#.WrymUNPwbuQ

    Read 0 times
  • Rastreio Visual Infantil
    Read 1 times
  • Cirurgia ao coração menos invasiva
    Cirurgia ao coração menos invasiva

    SIC - Jornal da tarde | O Hospital de Gaia está a usar uma nova técnica para operar doentes com insuficiência cardíaca, evita a cirurgia de peito aberto, reduz por isso o risco de infeções, e torna a recuperação muito mais rápida.

    Read 0 times
  • Bebés salvos no útero
    Bebés salvos no útero

    SIC Notícias | A Direção-Geral da Saúde ainda não decidiu sobre o centro de referência no país para a cirurgia fetal. A Maternidade Alfredo da Costa está preparada, mas por agora, esta operação que permite salvar bebés no útero, é possível no Centro Hospitalar de Gaia. Comentários de Raquel Fernandes, mãe de gémeas; Francisco Valente, obstetra.

    Read 0 times
  • | 18 de Janeiro | Destaque - Ricardo Fontes Carvalho - Cardiologista do CHVNGE
    | 18 de Janeiro | Destaque - Ricardo Fontes Carvalho - Cardiologista do CHVNGE

    em "Sabado" 18 de Janeiro de 2018

    Read 2 times
  • | 03 de Janeiro | Dez anos a salvar vidas com cirurgia pioneira
    | 03 de Janeiro | Dez anos a salvar vidas com cirurgia pioneira

    Foi pioneiro no pais e na Península Ibérica. Há dez anos, o cirurgião Vasco Gama recorreu a uma nova técnica para tratar um doente com estenose aórtica (calcificação da válvula que leva ao enfraquecimento do coração). Desde então já se realizaram perto de 1700 TAVI (intervenções percutaneas valvulares aórticas) no pais.
    Das quais, 482, ou seja, 28%, foram levadas a cabo no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, pela equipa do chefe de serviço de cardiologia, Vasco Gama.
    A técnica não invasiva passou a ser uma alternativa à chamada cirurgia de peito aberto, onde era necessário cortar o externo para se poder chegar ao coração. "Esta técnica,
    em termos científicos, está reservada para doentes de alto risco ou de risco intermédio, que são pessoas, normalmente, com muita idade, com insuficiência renal e com doenças respiratórias", explicou Vasco Gama.

    "Preparar o terreno"
    Numa situação em que se prevê que o número de doentes elegíveis para TAVI, através de recomendações médicas possa crescer substancialmente, o cirurgião adverte que é necessário 'preparar o terreno", através da criação de novos espaços onde se possam tratar estas pessoas. "O que se prevê no futuro é que os centros que fazem estas intervenções tenham um espaço dedicado ao tratamento deste tipo de doentes", revela o médico. Adiantando que está em causa a "continuação do tratamento de doentes
    com estenose aórtica", mas também de outros "Estão a ser feitos estudos para que se possam tratar problemas de válvula mitral e de válvula tricúspide da mesma maneira, não Invasiva". É por isso que Vasco Gama defende que haja "mais salas e mais investimento". Atualmente há 92 doentes em lista de espera para esta intervenção que tem uma taxa de sucesso de 98%. Sendo que o tempo médio de espera é de aproximadamente seis meses, dependendo da urgência e estado do doente.

    Antes da TAVI, a única maneira de intervir em pacientes de alto risco era abrir o externo, depois a aorta e por fim retirar e substituir a válvula estragada por uma nova. Nestes casos, corria-se o risco de haver tanto cálcio na aorta ascendente que o cirurgião se via impossibilitado de a operar, porque depois não a iria conseguir fechar.
    Daí a TAVI ter revolucionado o sistema, havendo cada vez mais doentes a serem encaminhados para esta alternativa. Agora, abre-se caminho pelas veias com uns fios guias, onde serão introduzidos cateteres. É por eles que a nova aorta vai entrar e encaixar no lugar da antiga. Depois do processo, a recuperação é bastante rápida. Em seis dias acaba-se a falta de ar e o cansaço." O doente fica com urna qualidade de vida como tinha se não padecesse de estenose aórtica", diz Vasco Gama.
    O doente mais velho a ser submetido à TAVI tinha 93 anos e o mais novo 18.

     

    in "Jornal de Noticias" 03 de Janeiro de 2018

    Read 3 times
  • 1º Encontro "Cuidar do doente com demência"

    posterneuro

     posterneuro2

    Read 4 times
  • III JORNADAS DE ONCOLOGIA E HEMATOLOGIA DE GAIA

    poster

     

    Os Serviços de Oncologia e Hematologia do Centro Hospitalar de Gaia/Espinho convidam todos os profissionais de saúde a participar nas III Jornadas de Oncologia e Hematologia de Gaia, que terão lugar no Centro Multimeios de Espinho, nos dias 22 e 23 de setembro.

    Os temas a discutir englobarão áreas como o Cancro da Mama na Mulher Jovem, os Cuidados Paliativos, o Cancro Gástrico, os Cuidados aos Sobreviventes de Cancro, Hematologia e Fármacos Anti-Neoplásicos. Recordamos ainda que as Jornadas contarão com a presença do Senhor Ministro da Saúde, que irá realizar uma conferência intitulada “Sustentabilidade do SNS – Mito ou Ficção?”.

    Paralelamente decorrerão Workshops sobre Hematologia, Feridas Neoplásicas e Saúde Ocupacional.

    Para proceder à inscrição poderão contactar os Serviços Organizadores, para os seguintes emails:

    Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

    Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

    Temos um número limitado de inscrições para oferta.

    Para as restantes inscrições poderão fazê-lo através do site

    http://www.factorchave.com/pt/iii-jornadas-de-oncologia-e-hematologia-de-gaia-2017

    ou enviar email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

    Contamos com a Vossa participação!

    Read 12 times
  • SNS 24
    SNS 24

    Anteriormente designada Linha Saúde 24, a novo centro de contacto SNS 24 disponibiliza novos serviços.

    O número mantém-se 808 24 24 24, sendo possível utilizar o website www.sns24.gov.pt.

     

     

    Read 3 times
  • |18 de Julho| Unidade de AVC do Centro Hospitalar de Gaia Espinho distinguida
    |18 de Julho| Unidade de AVC do Centro Hospitalar de Gaia Espinho distinguida

    Portugal é o primeiro país da Europa a ter um centro certificado de tratamento de acidente vascular cerebral. A distinção foi entregue a unidade de AVC do Centro Hospitalar de Gaia Espinho.
    Miguel Veloso, coordenador da Unidade de AVC do Centro Hospitalar de Gaia Espinho; Sérgio Castro, neurorradiogia de intervenção.


    Fonte : TVI 24 - Jornal da Uma

    Read 7 times
  • Aviso tempo quente
    Aviso tempo quente

    A Recomendações gerais para a população

    A exposição ao calor intenso pode ter efeitos negativos na saúde, como a desidratação e outras complicações que podem ser evitadas.

    A reação de cada pessoa à temperatura e os seus efeitos na saúde podem ser diferentes. Devem ainda considerar-se a existência de diferenças em função da localização geográfica.

    Para proteger a sua saúde é fundamental estar informado e seguir algumas recomendações.

    Recomendações principais:

    •             Mantenha-se hidratado

    •             Mantenha-se protegido do calor

    •             Mantenha a casa fresca

    •             Mantenha-se atento e proteja-se se tiver algum problema de saúde

    •             Mantenha-se em contacto e atento aos outros

    Principais cuidados a ter em situações de calor intenso:

    •             Mantenha-se informado relativamente às condições climatéricas para poder adotar os cuidados necessários

    •             Consulte o sítio www.dgs.pt, esteja atento aos meios de comunicação social e caso seja necessário procure o seu médico ou utilize a Saúde 24

    •             Conheça os sinais/sintomas relativos à desidratação, golpe de calor e outras complicações. Em caso de emergência ligue 112

    •             Preocupe-se com os outros e peça-lhes que se preocupem consigo.

    •             Tenha especial atenção, entre outros grupos, doentes crónicos, crianças, idosos e pessoas com mobilidade reduzida

    •             Evite estar em zonas de poluição elevada uma vez que as temperaturas elevadas e a poluição do ar estão, muitas vezes associadas

    •             Sempre que trabalhar ou tiver alguma atividade no exterior faça-o acompanhado porque em situações de calor extremo poderá ficar confuso ou perder a consciência

    •             Não deixe animais de estimação no carro “estacionado”, pois eles também podem desenvolver doenças relacionadas com o calor

    •             Sempre que necessário procure locais climatizados

    Hidratação

    •             Beba água mesmo quando não tem sede

    •             Se beber sumos opte por sumos de fruta natural sem açúcar

    •             Evite bebidas alcoólicas e bebidas com muito açúcar

    •             Faça refeições frias, leves e coma mais vezes ao dia. Evite refeições, muito quentes e muito condimentadas

    Arrefecimento

    •             Evite que a sua casa aqueça demasiado. Nos horários de maior calor, corra as persianas ou portadas. Ao entardecer, quando a temperatura exterior for mais baixa do que a interior, deixe que o ar circule pela casa

    •             Evite a utilização do forno ou de outros aparelhos que aqueçam a casa

    •             Evite a exposição direta ao sol, especialmente entre as 11 e as 17 horas

    •             Evite atividades físicas no exterior, principalmente nos horários mais quentes

    •             Em espaços interiores, procure frequentemente locais frescos e arejados

    •             Evite atividades físicas que exijam muito esforço, principalmente nos horários mais quentes

    •             Utilize ar condicionado se possível

    •             No período de maior calor tome um duche de água tépida. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças)

    •             No exterior, procure locais à sombra e frescos

    •             Use roupas leves, claras e soltas e não se esqueça do chapéu e dos óculos com proteção contra a radiação UVA e UVB

    •             Sempre que estiver ao ar livre, use protetor solar com índice de proteção igual ou maior que 30. Renove a sua aplicação de 2 em 2 horas ou de acordo com a indicação da embalagem

    •             Evite ficar em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Leve água suficiente para a viagem e, sempre que possível, viaje de noite

    Tentar permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco ou com ar condicionado pode evitar as consequências negativas do calor, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Se não dispõe de ar condicionado, visite centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais de ambiente fresco. Evite as mudanças bruscas de temperatura.

    •             Mantenha-se informado e atento

    •             Para mais informações ligue para a Saúde 24: 808 24 24 24.

    •             Em caso de emergência ligue para o 112.Concelho.

    Read 15 times
  • Medalha de Mérito para a Materno-Infantil do CHVNG/E
    Medalha de Mérito para a  Materno-Infantil do CHVNG/E

    A Unidade Materno-Infantil do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho será galardoada esta noite com a medalha de Mérito Profissional, distinção atribuída pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia "pelos relevantes serviços prestados no concelho na área da saúde". 

     

    A cerimónia irá decorrer hoje, 28 de junho, na Cerimónia de Comemoração do Dia do Município, às 21h00 no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

    Read 3 times
  • Gaia Saudável | Semana da Saúde | 3 a 5 de Maio
    Read 2 times
  • GRIPE : Etiqueta Respiratória
    Read 3 times
  • Notificação de Efeitos Secundários
    Read 1 times
  • |20 de Maio| Apoio europeu para hospital até julho
    Read 1 times
  • |12 de Maio| Dia Mundial do Enfermeiro
    Read 0 times
  • | 12 de Maio| Dia Mundial do Enfermeiro
    | 12 de Maio| Dia Mundial do Enfermeiro

    Dia Internacional do Enfermeiro 2016

    A comissão organizadora da comemoração do Dia Internacional do Enfermeiro tem a honra de o convidar para a Sessão de Abertura que assinala o início do programa de atividades desta iniciativa, no próximo dia1 2 de maio, às 9horas, no Auditório do Hospital de Magalhães Lemos. Convidamos ainda para assistir ao debate subordinado ao tema "Resiliência dos Enfermeiros" que se seguirá nesse mesmo local.Comissão Organizadora do Dia Internacional do Enfermeiro

    Cartaz

    Read 0 times
  • |16 de Abril|1ª Fase do Hospital Santos Silva Concluída
    |16 de Abril|1ª Fase do Hospital Santos Silva Concluída
    “A primeira fase do novo edifício do hospital está concluída”- Entrevista a Silvério Cordeiro
    Ao fim de dois anos de mandato como presidente do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) qual o balanço que faz da atividade do Hospital? É claramente um balanço positivo. O CHVNG/E conseguiu alcançar vários dos objetivos a que se propôs.
    Read 1 times
  • |24 de Abril| Visita da Imagem Peregrina de Nª Srª de Fátima ao CHVNG/E
    Read 1 times
  • |18 de Abril| Reabilitação do Centro Hospitalar de Gaia e Espinho
    |18 de Abril| Reabilitação do Centro Hospitalar de Gaia e Espinho

    Foi ontem apresentada a conclusão da primeira fase do projeto de reabilitação do Centro Hospitalar de Gaia e Espinho. A fase inicial da obra custou 13 milhões de euros. Tem agora novos serviços como a urgência geral, a emergência médica e uma nova secção de cuidados intensivos. Comentários de Silvério Cordeiro, responsável Conselho de Administração; Eduardo Vítor Rodrigues, pres. CM Vila Nova de Gaia.
    In Porto Canal - Mundo Local-

    Read 2 times
  • |23 de Janeiro| Utilização do leite em idade adulta
    |23 de Janeiro| Utilização do leite em idade adulta

    Atualmente assiste-se a uma elevada controvérsia relativamente ao consumo de leite versus bebidas vegetais (bebida de soja, arroz, aveia, etc.). Contudo, o consumo de leite, este longínquo hábito alimentar, tem-se mantido ao longo da evolução da humanidade.

    Read 2 times
  • |22 de Dezembro| «Estado da Arte» em Cirurgia Cardiotorácica
    |22 de Dezembro| «Estado da Arte» em Cirurgia Cardiotorácica

    O Serviço de Cirurgia Cardiotorácica do CHVNG/E em destaque no suplemento Exlibris do Público.

     

    Fonte:  Público - Exlibris

    Read 0 times
  • |17 de Dezembro| ARS visita CHVNG/E
    |17 de Dezembro| ARS visita CHVNG/E

    O Centro Hospitalar de Gaia e Espinho está preparado para responder a um eventual surto de gripe.
    Declarações de Álvaro Almeida, presidente do ARS Norte.

     

    Fonte : Porto Canal

    Read 2 times
  • |12 de Dezembro| Cinco idosos abandonados no Hospital de Gaia
    |12 de Dezembro| Cinco idosos abandonados no Hospital de Gaia

    No Hospital de Gaia, por exemplo, há cinco idosos abandonados. Já tiveram alta clínica, mas ninguém os vai buscar.
    Declarações de Belmiro Rocha, Enfermeiro-Diretor Hospital de Gaia; Hermínio Araújo, Diretor do Poverello; Sandrina Vieira, Assistente Social.

    Fonte : Porto Canal

    Read 2 times
  • |9 de Dezembro| Mitraclip : Cirurgia inovadora no CHVNG/E
    |9 de Dezembro| Mitraclip : Cirurgia inovadora no CHVNG/E

    O Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho está a fazer, há um ano, uma cirurgia inovadora que devolve qualidade de vida aos doentes com insuficiência cardíaca.

    Declarações de Bruno Melica, cardiologista; Vasco Gama, Dir. Serviço Cardiologia.

     Fonte: TVI

    Read 1 times
 

mailtelefoneicon2.png

 

ViajanteGBCorrect 02

BANNER 02 

 

site image 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Joomla templates by Joomlashine